Buscar

Após flagrar problemas de plantão em UPA, Leonardo Dias comunica falta de médicos e cobra soluções


Durante uma fiscalização, na noite da segunda-feira, dia 13, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizada no bairro do Trapiche da Barra, o vereador por Maceió, Leonardo Dias (PSD), constatou a ausência de dois dos médicos plantonistas que deveriam estar na unidade de saúde, o que ocasionou sobrecarga de trabalho para os servidores e prejuízos ao atendimento da população.


Em razão de portaria 342/13 que regulamenta os procedimentos e funcionamento da UPA, é obrigatória a presença de três plantonistas. Porém, apenas um se encontrava no local, o que – como constatou o vereador – gerou uma enorme fila de espera de pacientes que aguardavam atendimento para muito além do tempo previsto pela classificação de risco.


No momento em que Leonardo Dias se fez presente na UPA, 26 pessoas estavam na fila. Entre eles, como relatou o edil em suas redes sociais, um senhor esperava desde as 17 horas, mas até as 20h20 ainda não havia sido atendido.


O vereador conversou com os usuários da unidade de Saúde e dois deles também relataram as dificuldades em conseguir atendimento. Leonardo Dias destacou que eventuais ausências de um médico, em decorrência de problemas pessoais e imprevistos podem ocorrer, mas a Unidade precisa ter planejamento até mesmo para casos assim, uma vez que não pode ser a população a penalizada.


Em razão disso, o fato será comunicado – por meio de ofício – à Secretaria Municipal de Saúde para que sejam tomadas providências e se intensifique o acompanhamento dos plantões. O vereador pontou que, diante da média de atendimento médico de 20 minutos, numa fila com 26 pessoas, se chega a um tempo médio de 9 horas de espera.


“Ou seja: é impossível, diante dessa realidade, garantir que todas as pessoas sejam atendidas. Isso não pode ocorrer. A Prefeitura precisa tomar as providências e cobrar um planejamento, pois trata-se de recursos públicos que são gastos. É preciso ter uma maior sensibilidade, sobretudo com a população mais vulnerável”, colocou.


Ainda no local, o vereador conversou com o responsável administrativo e com o único médico plantonista e o que se percebeu foi a sobrecarga de trabalho do profissional local. “Não há quem aguente trabalhar com essa sobrecarga. Não me interessa o que houve com os outros dois clínicos, mas sim que a UPA deveria repor os plantonistas e garantir o atendimento. A população precisa ser atendida conforme preconizado. É um direito", concluiu o edil.


As fiscalizações têm sido uma marca do mandato do vereador Leonardo Dias. Ele destaca que o trabalho não se resume às visitas aos equipamentos públicos, mas que – a partir das informações colhidas – “são adotadas providências para que se busque a correção dos problemas, seja por meio de ofícios diretos, requerimentos e todas as formas possíveis de buscar a interlocução com o Executivo para que o serviço pago pelo contribuinte seja de fato entregue”.


Neste caso, o vereador optou pelo ofício direto à Secretaria de Saúde, informando da situação encontrada e do descumprimento de uma portaria que regulamenta o atendimento ao público, além do dever da obediência aos protocolos de classificação e tempo de espera. “Espero que diante da identificação do problema e da comunicação deste, o Executivo possa resolver. Caso não se consiga por essa via, buscaremos outras medidas cabíveis. O foco tem que ser a população de Maceió”.

3 visualizações0 comentário