Buscar

Lei que determina gasto de 50% de verbas de eventos em artistas locais é promulgada


Foi promulgado, nesta sexta-feira (20), o Projeto de Lei (PL) de autoria do Vereador Leonardo Dias (PSD), que determina que 50% dos valores gastos em eventos promovidos pela Prefeitura de Maceió sejam destinados aos artistas locais. A matéria foi aprovada, por unanimidade, na Casa de Mário Guimarães, no dia 22 de junho.


O PL foi uma das promessas de campanha do vereador Leonardo Dias, que ouviu alguns representantes da classe artística para construir o projeto.


“Na promoção de eventos musicais para o divertimento público, a Prefeitura frequentemente efetua a contratação de artistas consagrados, de renome nacional e/ou internacional. Os cachês pagos a esses artistas muitas vezes chegam às centenas de milhares de reais. Muitos artistas desse quilate utilizam de recursos de programas estatais de incentivo à cultura. Por outro lado, os artistas locais têm poucas oportunidades de se apresentarem ao público diante do pouco espaço que possuem, por serem pouco conhecidos do público e, também, pela falta de incentivo das autoridades governamentais na promoção da cultura”, destaca o projeto de Dias.


A aprovação do PL foi comemorada pela classe artística. O cantor maceioense Marlus Viana, ex-vocalista da banda Calcinha Preta, afirmou que este era um anseio antigo dos artistas locais.


“Na verdade, esse projeto era esperado há muitos anos pela classe artística. A gente via que em eventos realizados pelo poder público, os artistas considerados nacionais eram hegemônicos. De repente, os artistas locais ficavam a margem e com valores infinitamente menores. Com esse projeto, acredito que teremos uma mudança total e que Maceió seja um modelo para todos os outros municípios do Brasil”, afirmou Marlus.


A vocalista da banda Garota Sertaneja, Amanda Guimarães, também apoiou a aprovação da lei. Segundo ela, além dos artistas terem maior valorização por parte do poder público, a economia local também beneficiada.


“Eu acho que a lei vai ajudar muito a todos os artistas. Além da valorização, nos ajudaria economicamente também. As vezes não temos abertura no nosso próprio Estado. Isso será importante para a economia local, pois os valores dos cachês circularão aqui mesmo. Temos muitas pessoas que dependem exclusivamente dos trabalhos em eventos artísticos”, colocou a artista.


O empresário Alan Quintela considera que a lei irá revolucionar a cultura local. Segundo ele, a valorização da cultura alagoana despertará ainda mais o interesse das novas gerações no consumo e fomentação da arte no estado.


“Essa lei é um anseio antigo da categoria e tem um impacto inimaginável. Isso pode revolucionar a cultura alagoana. É difícil a gente realizar um trabalho, fazê-lo com carinho e nos principais eventos, a gente ficar de fora. A lei vai ajudar as pessoas a valorizarem ainda mais os artistas locais, pois nos colocará no mesmo patamar dos artistas nacionais. Isso também fará com que as crianças e as novas gerações possam se inspirar em nós e impulsionar ainda mais a nossa cultura”, concluiu.

1 visualização0 comentário