Buscar

Leonardo Dias critica ações arbitrárias contra a liberdade de opinião


O vereador Leonardo Dias (PSD) utilizou seu tempo de pronunciamento no plenário da Câmara Municipal de Maceió (CMM) para defender a democracia brasileira.


O edil repercutiu a prisão do presidente do PTB, o ex-deputado federal Roberto Jefferson, ocorrida na sexta-feira passada (13), no Rio de Janeiro. A ação foi tida como ilegal por diversos juristas brasileiros.


Dias lamentou o atual momento vivido por ativistas, políticos e veículos de comunicação ligados à direita, que têm sofrido perseguição por expressarem críticas ao Poder Judiciário Federal.


"É muito difícil compreendermos o momento em que o Brasil vive atualmente. Há pouco tempo, o país assistiu à prisão de ativistas políticos por crimes de opinião. Pouco tempo depois, prenderam jornalistas. Depois prenderam o deputado federal, Daniel Silveira (PSL) e, agora, o Brasil teve um presidente de partido preso por crime de opinião. Eu deixo claro que não concordo com a forma com que o Roberto Jefferson se posiciona, mas o que estamos vivendo hoje é o que aconteceu no auge do Regime Militar, onde pessoas foram presas por defenderem o que pensavam. Isso é rechaçado pela história e o que estamos assistindo atualmente não tem sido diferente. As pessoas estão sendo presas por expressarem suas opiniões", colocou o vereador.


"O TSE iniciou o cancelamento da monetização de canais de direita. Se isso não for censura, o que seria? Eles estão interferindo na relação entre empresas privadas. O TSE quer esmagar, financeiramente, os portais daqueles que pensam diferente. No Brasil existem inúmeros corruptos, assassinos e traficantes soltos. Observamos um elevado número de inquéritos parados no STF e tramitando com absoluta lentidão. No entanto, para prender alguém que pensa diferente, eles são rápidos ", prosseguiu.


Leonardo Dias repercutiu o pronunciamento dos deputados estaduais Antônio Albuquerque (PTB) e Davi Maia (DEM), que defenderam a liberdade de expressão e criticaram posicionamento de alguns ministros do STF.


"Fica minha admiração aos deputados estaduais Antônio Albuquerque e Davi Maia, que defenderam a democracia. Imagine se nessa Casa [Câmara Municipal de Maceió] tivéssemos 25 Leonardos, o quão pobre seria. O que faz essa casa ser grande é justamente as diferenças de pensamentos. Nós temos agora um Poder Público que define aquilo que se pode ou não falar. O momento que vivemos é preocupante. Hoje vimos que o STF mandou investigar a Polícia Civil por realizar operações contra o tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Que país é esse que queremos deixar para nossos filhos e netos? A Justiça deixa os traficantes e os corruptos soltos, mas prendem os que pregam aquilo que é destoante da casta autoritária do país", concluiu o edil.


O vereador Chico Filho pediu aparte e concordou com o pronunciamento de Leonardo Dias.


"O STF não pode abrir um processo, investigar e julgar. Ele [STF] tem os seus poderes previstos pela Constituição Federal e, infelizmente, a Constituição está sendo desrespeitada pelo STF. Não acho que o Roberto Jefferson seja santo, não concordo com o que ele fala, mas um ministro não pode ser dono de uma ação judicial. O Roberto sequer poderia ter sido julgado pelo STF, se houvesse algum crime cometido por ele, mas sim por juiz de primeira instância, no Rio de Janeiro. A classe política precisa reagir e mostrar à população que tem consciência do que está acontecendo", colocou.


Além de Chico Filho, os vereadores Cléber Costa (PSB), Olívia Tenório (MDB) e Silvânia Barbosa (PRTB) parabenizaram Leonardo Dias pelo pronunciamento.

1 visualização0 comentário