Buscar

Leonardo Dias denuncia fila por cirurgias cardíacas por falta de repasse de recursos em Maceió


Mais um caso de possível negligência com a saúde dos maceioenses foi denunciado, na tribuna da Casa de Mário Guimarães, pelo vereador por Maceió, Leonardo Dias (PSD). Desta vez, o edil destacou a fila de espera pelas cirurgias cardíacas na capital alagoana.


Muitos desses pacientes, cujo alguns procuraram Dias para relatar os casos, estão esperando no Hospital Geral do Estado (HGE), mas ainda não foram submetidos aos procedimentos por conta de atrasos no repasse de verbas do Sistema Único de Saúde (SUS) para as unidades hospitalares nas quais as cirurgias são feitas, entre elas, a Santa Casa de Misericórdia de Maceió.


O edil narrou que tomou conhecimento do caso no final de semana passado e como eram relatados faltas de repasse, de imediato encaminhou ofício ao secretário estadual de Saúde, Alexandre Ayres, para se inteirar da situação.


Em resposta, Ayres informou que o problema é a ausência de repasses do município de Maceió para as unidades, o que ocasionou a fila de espera que tem colocado em risco a vida dos pacientes.


O vereador tomou conhecimento de que aproximadamente 30 pessoas estão aguardando para serem submetidas a procedimentos que variam entre Ponte de Safena e colocação de stents. “No início da semana, eu recebi duas reclamações informando de que as pessoas estavam esperando por cirurgias cardíacas na Santa Casa de Misericórdia. Eu passei a desconfiar de que o problema poderia ser maior do que somente os casos que me chegaram. Quando busquei as informações descobri que mais pessoas estavam aguardando”, frisou Leonardo Dias.


Ele complementa explicando que “o secretário (Alexandre Ayres) afirmou, via ofício, que as unidades de saúde do SUS têm apresentado como justificativa a impossibilidade de realização de um maior número de procedimentos na falta de transferência de recursos por parte do Município de Maceió. O secretário disse que buscou informações com a Secretaria Municipal de Saúde, que não deu respostas à Secretaria Estadual de Saúde até agora".


Na quarta-feira, 13, um ofício foi enviado à secretária municipal de Saúde de Maceió, Célia Fernandes, na busca por esclarecer a situação. “É inadmissível a quantidade de coisas erradas que temos encontrado na Secretaria Municipal de Saúde. Já não basta a falta de medicação de hipertensão. Quando o paciente tem um problema de coração, a Prefeitura não paga a Santa Casa. Conversando com pessoas do hospital, obtive que a informação que aqui trago procede e que o repasse gira em torno de R$ 6 milhões. Eu solicitei todo o procedimento administrativo que envolve essa questão, pois é inadmissível, repito, que o Município deixe as pessoas morrendo. Eu quero saber até onde vai a negligência dessa administração com a Saúde do Município, porque normatizar a morte dos outros por negligência eu não considero normal, é uma imoralidade gritante", destacou.


Ao falar das “coisas erradas” que encontrou na Saúde, Dias se refere – dentre outras denúncias já feitas – a falta de medicamentos que já geraram, por parte do vereador, duas denúncias ao Ministério Público Estadual. Na primeira, consta uma lista de mais de 60 medicamentos que estão faltando nas unidades. Na segunda, esse número subiu para 80 remédios que não se encontram na rede municipal de Saúde.

1 visualização0 comentário