Buscar

“Não irão me intimidar”, diz Leonardo após PF identificar autor de ameaças sofridas pelo vereador


O vereador Leonardo Dias (PSD) enalteceu, na manhã de hoje, o trabalho da Polícia Federal, que identificou a identidade do internauta que usou de um perfil falso para ameaçar o edil de morte pelas redes sociais.


Dias foi ameaçado após manifestações de movimentos de Direita que ocorreram em 1 de maio do ano passado. Um homem de 33 anos de idade se utilizou de uma conta falsa no Instagram (@mari.ajulia2040) para ir às redes do vereador e deixar seguinte mensagem: "a próxima facada será em vc no dia 06 (de maio) aguarde @tocomleonardo quero ver se vc é valentão mesmo"


No mesmo dia em que recebeu as ameaças, Leonardo Dias procurou a Polícia Federal e prestou queixa. Desde então, as autoridades investigavam o fato.


De acordo com informações divulgadas na imprensa, o suspeito foi localizado e conduzido à sede da Polícia Federal, em Maceió, para prestar depoimento. Ele confessou que usou o perfil para as ameaças.


A promotora de Justiça Miryã Tavares Pinto Cardoso Ferro, da 54ª Promotoria de Justiça da Capital, ofereceu denúncia junto a 6ª Vara Criminal da Capital. Segundo a reportagem, o promotor Bruno de Souza Martins Baptista, da 41ª Promotoria de Justiça da Capital, requereu “a designação de data para a realização da audiência preliminar” no dia 4 de janeiro.


Ao falar sobre o assunto, Dias destacou o trabalho da PF. "Desde o momento em que tomei conhecimento sobre as ameaças de sofrer uma facada, procurei a Polícia Federal e depositei a minha confiança nos profissionais deste instituição. Infelizmente existe uma casta política acostumada a escravizar o povo e que não está disposta a largar o Poder. Não irão me intimidar. Não sei quem é o autor e se ele tem ligações políticas e, se tem, com quem, mas confio que a Polícia Federal e o Ministério Público concluirão o trabalho com maestria. Que sirva de lição a quem pensa que internet é uma terra sem Lei. Continuarei firme na defesa dos valores que defendo e na redução dos privilégios. Doa a quem doer. Custe o que custar.”

2 visualizações0 comentário